Interviews

Interview – Rebel Fashion Boys (pt)

2011, 23/Jan
Featured on: Rebel Fashion Boys
Format:

Webzine
Date: 01/23/2011
Interview by: Zombie zeca
Link: rebelfashionboys.blogspot.com

Nada melhor que iniciar o Blog com uma ótima banda, Offal banda oriunda de Curitiba que faz um death metal old school na linha de autopsy, repulsion, carcass, que vem se destacando na “cena” (se é que temos uma), uma grande banda de se encher os ouvidos, A perfeita trilha sonora de filmes de horror:

01 – Bom dia André, como vão ás coisas por ai?

André: Opaaa, tudo certo por aqui!

02 – Como surgiu a idéia de montar o Offal?

André: As atividades tiveram início em 2002 com o Orgy in Excrements, mas apenas em 2003, após algumas mudanças, surgiu uma nova proposta com o nome Offal. A banda teve início apenas como um projeto entre amigos, porém com o passar do tempo surgiram oportunidades como o lançamento do primeiro CD e convites para shows, então o Offal realmente passou a ter caráter de banda mesmo e não mais de um projeto.

03 – Como tem sido a repercussão do Macabre Rampages And Splatter Savages mundo a fora?

Tersis: Até o momento temos recebido vários comentários positivos, o pessoal tem elogiado o material de forma geral. Além das músicas, o pessoal tem elogiado bastante o material gráfico, a produção, os conceitos abordados e o cuidado que tivemos com os detalhes. Tudo está correndo de forma bem positiva. Ainda temos poucas resenhas, mas assim que forem aparecendo vamos publicando em nosso site.

04 – Acabo de ver que foi lançado no dia 12 de dezembro o split 7”ep com o Anatomia (Jpn), e já tem previsão de quanto vai sair o split com o Decrepitaph? Conte-nos um pouco sobre o que podemos esperar dessas bolachinhas, e quem esta lançando elas?

André: Ambos os splits foram lançados recentemente, estamos apenas aguardando nossa porcentagem de cópias para começarmos a divulgá-los por aqui, porém ambos encontram-se disponíveis e podem ser adquiridos através dos selos que os lançaram, NO POSERS PLEASE (Noruega) e GRIND BLOCK RECORDS (Itália), porém quem tiver interesse em adquirir esses materiais deve se apressar, pois ambos são bastante limitados. Esses materiais são bastante importantes para nós pelo fato de termos conseguido lançar o Offal em diferentes formatos, principalmente o vinil que realmente sempre foi e sempre será um grande atrativo para os fãs de Death Metal, pois creio que existe um certo romantismo, a história do formato clássico por trás disso tudo e isso é realmente especial! As músicas presentes nestes lançamentos são da mesma sessão de gravação do Macabre Rampages… ou seja, mais Death Metal da velha escola, pútrido e grotesco!

Tersis: Vale citar que no split 7” com o ANATOMIA fizemos uma homenagem ao grande HAEMORRHAGE, banda que gostamos muito é que uma de nossas grandes influências.

05 – Nos dias atuais é difícil ouvir álbuns tão envolventes, chego a sentir cheiro de podridão, sou transportado para um mondo de terror, como vocês conseguem captar essa atmosfera?

Tersis: Acredito que para criar essa atmosfera, é preciso entender e gostar muito dos conceitos abordados. Todos na banda são fãs de Death Metal e filmes de terror há muito tempo. Tentamos captar esse clima antigo, dos primórdios do Death Metal e de alguma forma ligar conceitualmente com toda a estética de horror. Quando um integrante cria algo novo, começamos a ensaiar e todos tem liberdade de direcionar as idéias iniciais para o estilo do Offal. Em certos momentos, vamos lapidando as músicas até chegarmos a um resultado que seja satisfatório para todos. Importante citar que nesse processo de composição, tentamos participar de uma imersão no contexto que deve ser representado, ou seja, se decidirmos falar sobre um tema ou um filme específico, tentamos buscar uma forma de representar essa estética através da música.

06 – Uma coisa que vem se destacando em cada lançamento é a arte que vem ficando cada vez mais doentia, como acontece o processo de criação da arte?

André: Desde o split MCD com o BOWEL FETUS, lançado em 2008, estamos trabalhando com o Putrid, renomado artista norte-americano que já desenvolveu trabalhos para grandes nomes como IMPETIGO, CIANIDE, HOODED MENACE, COFFINS, NUNSLAUGHTER… Ele realmente é um grande artista, tem um grande conhecimento de causa, ou seja, é um grande fã de Death Metal e talvez por isso ele consegue compreender com maior facilidade o que as bandas desejam quanto às artes e então consegue reproduzi-las de forma realmente especial. Certamente devemos continuar trabalhando com ele por um bom tempo ainda! Confira a capa do novo split 12”LP com o Decrepitaph que também foi produzida por ele!

07 – Como você vê a cena hoje em dia com toda essa onda de downloads, a música virou algo descartável?

Tersis: Não acredito que a música tenha se tornado descartável… acredito que grande parte das pessoas tem se tornado mais superficiais em relação à ela. Não tenho nada contra o formato, a internet abriu muitas possibilidades de contato e acessibilidade, sendo possível buscar informações rapidamente. Porém muitas vezes as pessoas não tem interesse em saber exatamente o que estão ouvindo, se informar de verdade e aproveitar esses recursos para mostrar o tal “apoio” que tanto falam. Se fizermos uma analogia, o MP3 nada mais é que uma evolução do K7 de anos atrás, transposto para o meio digital atual: antigamente trocávamos fitas e mais fitas, duplicávamos até o som ficar muito ruim de escutar e ás vezes comprávamos o material original (alguns eram quase impossíveis de se conseguir, principalmente antes dos anos 90 e de algumas mudanças políticas com relação às importações). A diferença é que hoje em dia esses “cassetes digitais” estão a dois cliques de distância, não precisamos rebobinar e não perdem a qualidade. Eu busco muitas informações online também, mas sempre que possível compro os materiais originais, deixando o MP3 apenas como um recurso de portabilidade para dispositivos móveis. Ainda acho que nada substitui ter em suas mãos um material original, que ofereça algo além do som, como letras, fotos, informações e a arte gráfica.

08 – Os membros da banda estão envolvidos em outros projetos? Se sim você poderia nos falar quais são?

André: Sim, todos nós estamos envolvidos em outras bandas e projetos! Além do Offal, eu tenho minha antiga banda de Gore Grind, o LYMPHATIC PHLEGM, um projeto de Groovin’ Porn Gore com o Tersis chamado CREAMPIE e um outro projeto Porn Gore chamado DYSMENORRHOEA com minha amiga Angela (NECROSE) e meus amigos Cynthia e Weder (TERRORGASMO). O Tersis também tem uma banda (One man band) de Black Metal chamada LUTEMKRAT e também toca em uma banda de Metal Old-school com os ex-membros fundadores do Offal chamada AXECUTER, além de participar com o João como session members de outro projeto de Folk Black Metal local chamado SVARTALFHEIM. O Eduardo se eu não estiver enganado toca em uma outra banda de Death Metal local chamada UMBLEMISHED e também em uma banda de Hard Core chamada GLOCK!

09 – Quais são os futuros planos do Offal?

André: Esse ano devemos continuar trabalhando ativamente na divulgação do novo CD, esperamos poder tocar mais vezes “ao vivo”, em especial em lugares que ainda não tocamos e também devemos começar a compor material novo para 2012!

10 – Muito obrigado por ceder um pouco de seu tempo. Espero poder ver um show do Offal aqui em SP um dia! Agora se vocês quiserem dizer algo e deixar os contatos da banda, sintam-se a vontade o espaço é de vocês.

André: Muito obrigado pelo espaço e pela entrevista! Apoiem as bandas e os selos COMPREM CDs ORIGINAIS!

Tersis: Esperamos em breve poder tocar em SP. Também gostaria de agradecer pela oportunidade de responder suas perguntas. Quem quiser saber mais sobre o Offal, basta acessar o site oficial: http://www.offalgore.com/ ou o Myspace http://www.myspace.com/offalxxx. Fiquem ligados nesses canais, pois estamos sempre os atualizando com novidades e informações relacionadas à banda. The Blood is Running Cold…